Cycle Parking Guide for New Residential Developments

CycleParkingGuide_std

A importância da ciclovia da Avenida Paulista

Texto: Willian Cruz, do site vadebike.org

Organizada coletivamente por meio de mobilização popular no Facebook, a festa popular de inauguração da ciclovia da Av. Paulista está deixando muita gente ansiosa. A inauguração acontece em 28 de junho, com os cidadãos se encontrando na Praça do Ciclista a partir das 8h (Paulista x Consolação). A avenida será aberta às pessoas a partir das 10h da manhã, com restrição aos carros em toda sua extensão, exceto no cruzamento com a Av. Brigadeiro Luis Antonio, para permitir que os ônibus desse eixo continuem cruzando a via. A estrutura já vem sendo usada por algumas pessoas desde o dia 18, quando retiraram parcialmente os tapumes que isolavam a obra. A ansiedade é tanta que muita gente quis “comer um brigadeiro antes dos parabéns”

A festa atrairá pessoas de outras cidades e até de outros estados, que percebem que esse será um momento histórico na mobilidade por bicicletas do Brasil e se sentem parte dessa conquista. E não é à toa: no mês de março, quando uma ação do Ministério Público Estadual de São Paulo tentava barrar a construção dessa e de todas as outras ciclovias da cidades, com o pedido inclusive de que a obra em andamento fosse desfeita, irmãos de pedal de todo o país se uniram para protestar contra essa arbitrariedade, que representaria um retrocesso gigantesco tanto em termos de política cicloviária quanto de proteção à vida. “Vai ter ciclovia”, gritamos todos, unidos em São Paulo e em mais de 45 outras cidades no Brasil e no mundo. Só em São Paulo mais de 7 mil pessoas foram às ruas na noite de 27 de março, quando por fim o Tribunal de Justiça de São Paulo derrubou a liminar que proibia a continuidade das obras de ciclovias na capital paulista.

Essa conquista é, merecidamente, de todos, não só dos paulistanos. A implantação dessa estrutura, em uma avenida de grande visibilidade e com histórico de várias mortes de ciclistas, é considerada um divisor de águas na bicimobilidade brasileira, pois tende a escancarar a demanda (atual e reprimida), com cidadãos circulando ininterruptamente de bicicleta em uma das avenidas mais famosas do país. Espera-se que em poucos meses haja um fluxo maior que o da Av. Faria Lima, uma ciclovia de grande utilização em São Paulo. Há ainda a expectativa de que essa visibilidade incentive avanços na mobilidade ciclística em cidades de todo o Brasil, ao mostrar que proteger a vida do ciclista e estimular o uso da bicicleta são medidas importantes para o crescimento ordenado das cidades, não só pelos efeitos diretos na mobilidade quanto nos benefícios para os indivíduos,para a economia, para a saúde pública, o comércio e até o turismo (veja 18 razões para apoiar a implantação de ciclovias e 12 bons motivos para adotar a bicicleta em seus deslocamentos).

A ciclovia da Avenida Paulista irá ajudar muita gente que pedala na cidade ou pretende fazê-lo. É esperada há muitos anos pelos cidadãos que utilizam bicicleta em São Paulo, muito mais do que o tempo da atual gestão. Certamente seu uso superará todas as expectativas dentro de poucos meses, principalmente com a criação das conexões que irão alimentá-la.

Leia a matéria completa:
http://vadebike.org/2015/06/ciclovia-paulista-conquista-dos-ciclistas-inauguracao/

O evento no facebook:
https://www.facebook.com/events/454053454754662/

Convite para o Festival de Inverno da UFPR, em Antonina

 

Neste mês de julho, do dia 11 ao dia 18, acontece o Festival de Inverno da UFPR, na cidade de Antonina, litoral paranaense. O festival esta em sua 25ª edição e trás diversas oficinas, espetáculos e vivências abertas ao público, gratuitamente.

O Ciclovida irá promover duas atividades durante o Festival deste ano:

– Uma pedalada de  Curitiba até a cidade de Antonina

Oficina do professor e coordenador do Ciclovida, José Carlos Belotto, sobre o diagnóstico e desenvolvimento de proposta para melhoria do uso da bicicleta pela comunidade escolar em Antonina, apresentando e analisando o diagnóstico desenvolvido durante a edição do Festival do ano passado. A oficina ocorre de 13 a 17 de julho.

As inscrições para o festival podem ser feitas através do site: http://www.proec.ufpr.br/festival2015/index.html

cicloturismo_festival2015

Dissertação de David Couto sobre cicloativismo em Curitiba

Dissertação david couto 10.06.2015

Cicloturismo Festival de Inverno UFPR

Pedalada organizada pelo Ciclovida até Antonina, para o Festival de Inverno da UFPR. Dia 12/07.

graciosa

58% dos trabalhadores portuários utilizam a bicicleta como meio de transporte

Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) desenvolveu uma pesquisa inédita entre os seus funcionários sobre o uso da bicicleta. Os resultados apontaram que dos 455 funcionários efetivos e comissionados que trabalham na Appa, 58% utilizam a bicicleta como meio de transporte. Além disso, 78% dos funcionários possuem bicicleta e 69% já vieram trabalhar de bicicleta em alguma oportunidade. A pesquisa foi realizada com os trabalhadores que residem em Paranaguá e municípios litorâneos.

Os resultados foram divulgados hoje, durante a oficina sobre “O respeito ao ciclista em Paranaguá e na área Portuária”, atividade que integra as ações da Semana do Meio Ambiente dos portos paranaenses.
Outro dado importante apontado pela pesquisa foi a necessidade de ampliar a sinalização e de aumentar o número e campanhas de respeito ao ciclista, especialmente, para os motoristas de caminhões que chegam a cidade. Paranaguá é a que possui maior número de bicicletas por habitante do Paraná, com uma média de 120 mil bicicletas para uma população de 140 mil habitantes.

O diretor presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino, disse que a pesquisa trouxe importantes resultados, entre eles, a necessidade de interligar os prédios, terminais públicos e privados, empresas e armazéns localizados na área portuária, com ciclofaixas ou ciclovias. “É um dado importante para subsidiar projetos futuros. Sabemos que a cultura do uso da bicicleta em Paranaguá supera muitas cidades, mas não tínhamos informações que pudessem nos dar a dimensão do uso deste modal pelos trabalhadores portuários”, declarou Dividino.

A Diretoria de Meio Ambiente da Appa também fez um levantamento sobre os espaços utilizados para guardar as bicicletas. Foram avaliados os bicicletários do pátio de triagem de caminhões, do prédio administrativo, do Silão, da Estiva e da diretoria de manutenção civil. Na data da vistoria 237 bicicletas foram contabilizadas nestas áreas.

Média Nacional – O cicloativista, coordenador do Programa Ciclovida da UFPR e vice-presidente da Federação Paranaense de Ciclismo, José Carlos Belotto, disse ter ficado surpreso com a porcentagem de trabalhadores que utilizam a bicicleta no Porto de Paranaguá.

“Para que se tenha uma ideia, nas cidades brasileiras a média de pessoas que utilizam a bicicleta como meio de transporte é de 3%. O uso da bicicleta em Paranaguá está muito acima da média nacional”, comparou Belotto.

Ele ministrou a oficina sobre mobilidade urbana sustentável, nesta quarta-feira (03), e abordou temas como planejamento urbano, legislação, história da bicicleta, exemplos de sucesso e políticas públicas de incentivo ao uso da bicicleta. “O Paraná acabada de ganhar uma política estadual de mobilidade urbana sustentável, a qual pude participar da elaboração e o decreto foi assinado recentemente pelo governador. Sem dúvidas, um grande avanço”, enfatizou Belotto.

Para Rodolfo Rodrigues de Miranda, gestor ambiental que participou da oficina, a iniciativa da oficina é muito importante, já que a cidade carece deste tipo de discussão. “Hoje apenas 11% das ciclovias da cidade estão em boas ou excelentes condições e mais de 40% delas estão em estado ruim ou péssimo”, afirma o gestor, que há um ano realizou uma pesquisa sobre os hábitos dos ciclistas de Paranaguá e a condição das ciclovias da cidade. Segundo ele, a maior parte dos usuários de bicicletas da cidade pedalam pelo menos 8 quilômetros por dia nestas vias.

Integração – Participaram da oficina sobre uso da bicicleta promovida pela Appa, ciclistas da Associação de Ciclistas de Paranaguá (ACP) e de outras cidades litorâneas, universitários, técnicos, especialistas e adeptos ao uso da bicicleta. A Prefeitura de Paranaguá enviou representantes das áreas do Urbanismo, Planejamento, Segurança e Guarda Municipal. A secretária de Planejamento de Paranaguá, Rita Abe, contou que a prefeitura criou há cerca de um ano e meio uma comissão para desenvolver o Plano de Mobilidade de Paranaguá. “Com esta iniciativa da Appa, esperamos ampliar a parceria e o debate pela mobilidade sustentável, em busca da melhoria da qualidade de vida da população”, finalizou a secretária.

 

Matéria originalmente publicada no site http://www.portosdoparana.pr.gov.br/

link: http://www.portosdoparana.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=1425

Paraná ganha Programa de Mobilidade por Bicicleta

noticia_862257_img1_ap_ciclo-parana1

O governador Beto Richa assinou, no último dia 22 de maio, o decreto 1.517/2015 que cria o Programa Paranaense de Mobilidade por Bicicleta (CicloParaná). É com muita satisfação que trazemos esta notícia na coluna Conteúdo Sustentável, tendo em vista que nos anos de 2013 e 2014 esta colunista participou ativamente das discussões para elaboração do programa. O Ciclo Paraná prevê incentivos para o uso da bicicleta no Estado. Além disso, o Programa foi idealizado com base em quatro eixos principais: Cidadania, Turismo, Esporte, Infraestrutura e Economia. O objetivo do decreto é implementar ações que consolidem a utilização da bicicleta como meio de transporte, prática esportiva e de lazer, bem como desenvolver a cidadania, a segurança viária, a saúde, a educação no transito e o turismo sustentável.

Conciclo
O decreto 1.517/2015 cria ainda o Conselho Paranaense de Ciclomobilidade (Conciclo), que terá a participação de órgãos públicos estaduais, Universidade Federal do Paraná (UFPR) e da Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu (Cicloiguaçu), organização que reúne ciclistas de todo o Paraná. O Conciclo deverá elaborar e debater propostas de políticas públicas para viabilizar o cumprimento das ações elencadas no decreto. A coordenação do Conciclo caberá à Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos por indicação do Secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos.

Porto de Paranaguá promove oficinas na Semana do Meio Ambiente
A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) promove – nos dias 01, 02 e 03 de junho – oficinas técnicas abertas à população nas áreas de resíduos sólidos, mobilidade urbana sustentável e controle e prevenção de acidentes ambientais. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelo sitewww.portosdoparana.pr.gov.br. A programação faz parte das comemorações da Semana do Meio Ambiente no Paraná.

Dia Nacional da Mata Atlântica 2
Hoje, data em que se comemora o Dia Nacional da Mata Atlântica, trazemos mais um fato curioso sobre a Floresta com Araucária, ecossistema associado ao bioma Mata Atlântica. Você sabia que a conservação de remanescentes de Floresta com Araucárias pode representar uma alternativa viável para a própria produção sombreada da erva-mate? “Nativa desse ecossistema, estudos indicam que a planta se desenvolve melhor em seu ambiente natural, no interior da floresta, crescendo com folhas maiores que implicam em melhor aproveitamento e gosto mais suave do chá extraído”, explica Guilherme Karam, coordenador de Estratégias de Conservação da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.

Sancionado o marco legal da biodiversidade
No último dia 20 de maio a presidenta Dilma Rousseff sancionou a Lei que define o novo marco legal da biodiversidade. O dispositivo define o acesso ao patrimônio genético e ao conhecimento tradicional associado e entrará em vigor 180 dias depois da publicação no Diário Oficial da União. O objetivo da matéria é desburocratizar o processo e estimular o desenvolvimento sustentável. O novo marco legal da biodiversidade surge, destaca a inclusão social e a repartição de benefícios, reconhecendo os conhecimentos dos povos tradicionais.

Disputa Sustentável
A MRV Engenharia organizou um campeonato para incentivar seus operários a executar o maior número de práticas de sustentabilidade em 100 canteiros de obra do país, o que gerou mais de 1,2 mil ações ambientais entre julho de 2014 até maio de 2015. As seis obras paranaenses que participaram da disputa ficaram entre o 16ª e 35ª colocações, com índices de eficiência no quesito sustentabilidade entre 87% a 99%. Entre as ações ambientais, se destacam a segregação de resíduos e suas destinações corretas, utilização de lâmpadas de garrafa PET, de telhas translucidas, utilização de água da chuva, ações de logística reversa, entre outras, que resultaram em uma economia de mais de R$ 4,3 milhões entre julho de 2014 a março de 2015.

Ceres Battistelli. Jornalista, Colunista e Assessora de Comunicação.

via: http://www.bemparana.com.br/noticia/388194/parana-ganha-programa-de-mobilidade-por-bicicleta

Palestra sobre o cicloativismo curitibano, de David Couto, na Bicicletaria Cultural

Em palestra realizada na terça-feira (26) na Bicicletaria Cultural, David Couto apresentou seu trabalho de mestrado, de forma resumida. A obra foi fruto de três anos de pesquisa que resultaram em mais de 200 páginas onde Couto analisou o tipo de cicloativismo praticado em Curitiba, com as mudanças ocorridas no perfil de seus participantes ao longo do tempo, desde o surgimento da Bicicletada de Curitiba e culminando na criação da Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu, a CicloIguaçu. Foram 17 entrevistados ao longo da pesquisa que além de fornecerem informações sobre a história e desenvolvimento do movimento, foram usados para “perfilar” os cicloativistas curitibanos. O perfil seria de jovens de classe média/alta, com curso superior e histórico de intercâmbio para outros países, que deram origem a esse movimento na cidade. Com o tempo, ocorreu uma mudança de perfil, que gerou alguns fatores que enfraqueceram a Bicicletada, como a saída de membros antigos e dificuldades em atingir a realidade periférica de Curitiba. Com a CicloIguaçu ocorreu uma mudança também no sentido da perda do caráter cultural antes muito forte na Bicicletada. Couto também aponta que a eleição do prefeito Gustavo Fruet fortaleceu o ativismo institucional e o III Fórum Mundial da Bicicleta, ocorrido em 2014, fortaleceu a ação coletiva no movimento cicloativista da cidade. O autor afirma que um dos objetivos do trabalho é apontar a bicicleta como meio de transformação social.
Abaixo, um resumo da obra escrito por David Couto:

Este trabalho realiza uma análise histórico-social sobre a utilização da bicicleta, por ciclistas e ativistas da cidade de Curitiba,            como        símbolo    político  capaz          de        mobilizar transformações sociais na vida das grandes cidades e promover críticas a um modelo cultural de locomoção e urbanização que tem no carro seu principal símbolo. Buscou-se investigar eexpor os contextos global e local de surgimento do ativismo em torno da bicicleta na cidade, assim como as transformações ocorridas no movimento ao longo de seus 9 anos de existência. Apesquisa direcionou seu olhar às mudanças no tipo de ativismo realizado pelo movimento que originou a Bicicletada de Curitiba e que culminou na fundação da Associação de Ciclistas do AltoIguaçu, a CicloIguaçu, assim como ao perfil político e social de seus participantes conforme o movimento se expandiu e a bicicleta passou a se destacar como meio alternativo delocomoção, símbolo político e identidade. Tais processos são analisados, principalmente, à luz da perspectiva geracional.

IMG_2044IMG_2042

Porto de Paranaguá promove minicurso sobre “o uso da bicicleta na cidade”

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) promoverá na segunda (1), terça (2) e quarta-feira (3) oficinas técnicas nas áreas de resíduos sólidos, mobilidade urbana sustentável e controle e prevenção de acidentes ambientais. As oficinas acontecem no auditório da Appa e incluem visitas técnicas ao cais do Porto de Paranaguá e área portuária. A programação da quarta-feira (3) terá o objetivo de conscientizar as pessoas sobre o trânsito na cidade de Paranaguá, que é a cidade com o maior número de bicicletas por habitante do Paraná. Devido ao intenso fluxo de caminhões que chegam a Paranaguá para descarregar no Porto – cerca de 113 mil veículos apenas nos três primeiros meses do ano – a Appa quer proporcionar uma oficina para debater o tema mobilidade urbana sustentável e O Respeito ao Ciclista em Paranaguá e na Área Portuária. Para esta oficina, que acontecerá das 9h às 12h, serão 70 vagas. A oficina sobre mobilidade será ministrada pelo cicloativista José Carlos Belotto, que é vice-presidente da Federação Paranaense de Ciclismo e coordenador do Programa Ciclovida da Universidade Federal do Paraná (UFPR)A programação da quarta-feira (3) terá o objetivo de conscientizar as pessoas sobre o trânsito na cidade de Paranaguá, que é a cidade com o maior número de bicicletas por habitante do Paraná. Devido ao intenso fluxo de caminhões que chegam a Paranaguá para descarregar no Porto – cerca de 113 mil veículos apenas nos três primeiros meses do ano – a Appa quer proporcionar uma oficina para debater o tema mobilidade urbana sustentável e O Respeito ao Ciclista em Paranaguá e na Área Portuária. Para esta oficina, que acontecerá das 9h às 12h, serão 70 vagas. A oficina sobre mobilidade será ministrada pelo cicloativista José Carlos Belotto, que é vice-presidente da Federação Paranaense de Ciclismo e coordenador do Programa Ciclovida da Universidade Federal do Paraná (UFPR)

As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo site www.portosdoparana.pr.gov.br

Fonte:http://www.portosdoparana.pr.gov.br/modules/noticias/makepdf.php?storyid=1417

BIKE-CARTAZ

Cicloturismo até a represa do Iraí em Pinhais no dia 23/05/15

Esta galeria contém 69 fotos.

No último sábado(23) foi realizada a pedalada organizada pelo Ciclovida até a represa do Iraí, em Pinhais. Os cerca de 30 ciclistas presentes partiram às 8 horas da Asufepar e seguiram até a fazenda Canguiri, onde foi feito um pequeno passeio e pausa para descanso. Depois o destino foi a represa do Iraí, onde puderam aproveitar a vista e o clima agradável do sábado ensolarado. Todos retornaram em segurança. O retorno ocorreu por volta das 13:30h.

O Programa Ciclovida e
a Invasão das Bicicletas


Categorias

julho 2015
D S T Q Q S S
« jun    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031