Arquivo do mês: julho 2012

Mesa Redonda: Construindo uma nova cultura de mobilidade urbana

Passeio de Cicloturismo entre Curitiba e Antonina (confirmação)

Antenção: O passeio de cicloturismo está oficialmente confirmado para amanhã (dia 14). A concentração acontecerá no Campus Juvevê da UFPR (RBom Jesus, 650) às 6h30 da manhã. A previsão de saída para o passeio é às 7h. O embarque para a volta acontecerá às 17h.

Lei que cria Mês da Bicicleta começa a tramitar na Assembleia

Postado por Deputado Estadual Rasca

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Paraná deu parecer favorável, nesta terça-feira (10), ao Projeto de Lei 316/12 que cria o Mês da Bicicleta a ser comemorado em setembro. Com a medida a data passa a constar no Calendário Oficial de Eventos do Estado.
O objetivo da Lei é mobilizar a sociedade, poder público, iniciativa privada, comunidade acadêmica e outros segmentos organizados em ações e campanhas que esclareçam e incentivem o uso da bicicleta como meio de transporte eficiente e sustentável.
De acordo como deputado Rasca, que também coordena a Frente Parlamentar da Mobilidade Urbana Sustentável, a Lei irá ajudar no estímulo de ações educativas.
“A Lei prevê para o Mês da Bicicleta atividades como o ciclocine, passeios ciclísticos, arte e bicicleta, palestras e peças teatrais, entre outras ações”, explica Rasca.
Para o presidente da Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu (CicloIguaçu), Jorge Brand, a tramitação da Lei representa uma conquista para os ativistas. “O mês da bicicleta acontece desde 2007, initerruptamente, em Curitiba com a realização de atividades que estimulem o uso da bicicleta como modal de transporte. O poder público vestir essa camisa, nos deixa muito satisfeitos”, afirmou Brand.
O Cicloiguaçu foi criado em maio de 2011 e já conta com 200 integrantes. “O objetivo principal é tornar a bicicleta um vetor da transformação social e urbana”, destaca Jorge. Para ele, as cidades devem priorizar o transporte coletivo e não motorizado, ou seja, os ciclistas e pedestres.
“Não podemos imaginar uma cidade onde todas as pessoas utilizem o carro para desenvolver suas atividades. Curitiba está despertando deste sonho motorizado, tem uma massa crítica e consenso acadêmico de que precisa investir muito mais no transporte coletivo e na bicicleta”, finaliza Jorge.
O ciclo ativista, José Carlos Belotto, disse que o parecer favorável a Lei é motivo de comemoração. “A bicicleta está ganhando mais espaço para a sua defesa. É louvável que o deputado tenha este compromisso com a questão ambiental e social que a bicicleta representa”, declarou Belotto, que foi um dos propositores da Lei.
Ele ressalta, que a bicicleta é um meio de transporte de baixo custo e que, tanto a Lei como a criação da Frente de Mobilidade Urbana Sustentável, representam a possibilidade de disseminação da cultura da bicicleta no Paraná.
FRENTE PARLAMENTAR – A Frente Parlamentar da Mobilidade Urbana Sustentável foi criada pelos deputados Rasca Rodrigues (PV) eStephanes Junior (PMDB), com o intuito de promover o debate entre a sociedade e o poder público no que diz respeito ao deslocamento urbano sustentável.
Para o deputado Rasca, ter mobilidade é ter alternativas para deixar o carro na garagem e se locomover a pé, de bicicleta ou com o transporte coletivo. “É dispor de ciclovias e também de calçadas que garantam acessibilidade a todos os pedestres”, enfatiza Rasca.
Já o presidente da Comissão de Direito Ambiental da OAB- Paraná, Alessandro Panasolo, a criação da Frente Parlamentar amplia a discussão entre os setores público e privado, incluindo neste debate a sociedade civil organizada.
“Com a entrada dos deputados neste cenário, temos mais um braço institucional para fortalecer o movimento da mobilidade no Paraná. A Assembleia passa a discutir, juridicamente e tecnicamente, a nova Lei de Mobilidade Urbana para 2012 ’, finalizou Panasolo.
  

Ceres Battistelli
Assessoria de Imprensa – deputado Rasca Rodrigues (PV)

III Congresso de Cultura e Educação para Integração da América Latina (CEPIAL)

Dia 18 de Julho acontecerá uma mesa redonda como parte das atividades do III CEPIAL. A mesa contará com a presença de três grandes autoridades no uso de bicicleta como meio de transporte: Amarilis do Chile, o Thiago – diretor da CicloCidade de SP e a Giselle da ViaCiclo de Floripa.

“EMENTA: Relatar as experiências de Cicloativistas pioneiros e pesquisadores, debatendo como envolver a Academia e a sociedade visando uma transformação na cultura hegemônica de Mobilidade Urbana focada no automóvel que orientou o planejamento urbano das cidades Latino Americanas nas ultimas décadas, buscando ganhar espaço e respeito para Bicicleta como meio de transporte sustentável e socialmente inclusivo.”

Atenção participantes doPasseio de Cicloturismo entre Curitiba e Antonina

ATENÇÃO:  Devido às condições climáticas, o Passeio de Cicloturismo entre Curitiba e Antonina foi transferido para o dia 14 de Julho.

Maiores informações no decorrer da semana.

Incentivo para as bicicletas

Instigados pelo Programa Ciclovida, alunos de design desenvolvem projetos que visam à ampliação no uso de bicicletas na cidade de Curitiba

Por Paula Bianchi

 

Alunos do 8º período do curso de Design de Produto das Faculdades Integradas do Brasil (Unibrasil) desenvolveram cinco projetos que visam a melhorias para quem usa as bicicletas como transporte e também para empresas que utilizam esse tipo de veículo.

A ideia surgiu após uma palestra realizada no início do semestre pelo coordenador do Programa Ciclovida, José Carlos Belotto, e representantes de empresas como a EcoBike e o Bicicletário Cultural. Belotto admite que as propostas apresentadas pelos alunos foram bastante interessantes e com potencial de serem implantadas no futuro,mas ele enfatiza: “O mais importante foi levar o tema bicicleta para discussão e colocar os alunos de design desenvolvendo ideias para fomentar o uso da bike.”

Os trabalhos foram orientados pela Professora Líbia Patrícia Peralta, designer formada pela UFPR e Pós-Doutora em Design & Desenvolvimento Regional pelo Programa Mary Curie da Comunidade Europeia. Segundo a professora, os trabalhos foram realizados na disciplina chamada Estágio III, onde os alunos que não estão estagiando realizam projetos dentro da universidade. “A ideia da disciplina é trabalhar como um escritório modelo, isto é, desenvolvendo projetos reais de interesse atual e de aplicação concreta”, explica Peralta. Tal fato indica porque a idealização dos projetos foi feita de maneira tão completa. “Os projetos estão completos no seu conceito, mas ainda não tão detalhados na sua parte executiva. Isto foi intencional”, segundo a professora se um cliente em potencial tiver interesse no projeto poderá solicitar aprofundamentos técnicos.

Patrícia Peralta compartilhou uma pouco de sua experiência na Europa para a elaboração dos trabalhos. Ela explica que não possível apenas copiar o que outros países já estão fazendo: “O uso da bicicleta é uma realidade na Europa, acredito que podemos avançar nesse sentido aqui, mas de forma diferenciada. Não adianta somente transpor ideias de fora, pois há limitantes culturais e de infraestrutura que devem ser respeitados para termos sucesso”.

José Carlos Belotto e Patrícia Peralta concordam que a parceria entre o programa e os alunos de graduação foi bastante benéfica para ambos os lados. Peralta conta que esta foi uma real experiência de mercado para os seus alunos. “É necessário transpor os muros da academia e tomar contato direto com a realidade, somente assim estaremos formando profissionais engajados, úteis à sociedade e com potencial de sucesso profissional”, enfatiza a professora. Já Belotto comenta que o papel do Programa Ciclovida não se limitou apenas à palestra inicial aos alunos de design: “O programa tem a pretensão de estimular a cultura da bicicleta e através de seu site, e com seus contatos divulgar os projetos para que possíveis interessados os tirem do papel”.

 

Projetos

Foram desenvolvidos cinco projetos pelos alunos da Unibrasil, foram eles: Ponto de apoio ao ciclista no meio urbano, Paraciclos urbanos para parques com a identidade de Curitiba, Kit destacável de identidade visual para caracterizar empresas de entrega via bike, Paraciclo coberto para a Unibrasil com sistema visual de localização e Sistema de iluminação e melhoria da infraestrutura das ciclovias urbanas.

Willian Machado é um dos estudantes que participou desse projeto. Seu grupo desenvolveu o Kit EcoLéguas Courier, um kit de personalização das bicicletas para empresas que realizam entregas via bike. Segundo William, as maiores preocupações desse projeto foram: criar uma identidade visual para a empresa e um compartimento adequado para carregar as entregas. “Além do problema de transporte de objetos, tivemos a preocupação sobre o formato que os documentos eram entregues (intactos ou não) e notamos que a propaganda da empresa estava apenas no uniformes dos ciclistas, então, surgiram as seguintes perguntas: e se o ciclista for fazer a entrega e deixar a bike presa em algum paraciclo, como é possível saber que é de uma empresa courier?”, explica o estudante. Esses problemas foram sanados com a criação do kit, que personaliza a bicicleta e tem um baú porta objetos de formato adequado.

O Ponto de Apoio ao Ciclista Cycle Urban foi desenvolvido pelo grupo da estudante Daniela Bauer. Trata-se de um contêiner móvel equipado com tudo o que um ciclista pode precisar. “Muitos dos usuários da bicicleta utilizam-na no seu dia a dia para ir ao trabalho, estudar e não somente para atividades de lazer; assim surgiu a ideia do desenvolver um ponto de apoio. O grande desafio que encontramos foi suprir, no espaço de um contêiner, todas as necessidades que nosso público exigiu”, confessa a futura designer. Segundo Daniela, o projeto de seu grupo está mais do que completo, ele supri tanto as necessidades dos ciclistas, como é um facilitador para empresas que quiserem adquiri-lo: “O ponto de apoio é prático tanto na sua montagem, quanto na sua manutenção e o principal é um módulo móvel. Esse módulo pode ser colocado em pontos estratégicos como no centro da cidade e em parques”, defende sua criação.

“Quanto mais houverem paraciclos na cidade, mais as pessoas vão querer utilizar a sua bicicleta, pois elas sabem que terão um lugar seguro onde deixá-las”, conta Geziel Macharete, aluno e integrante do grupo idealizador do projeto de paraciclos urbanos em formato de pinhão. Gezil enfatiza que o trabalho de seu grupo além de ser muito eficiente e útil tem um toque de criatividade: “É um produto extremamente importante aos usuários da bicicleta, e ao mesmo tempo, carrega consigo a identidade paranaense através de sua forma, o Pinhão.”

Os alunos tem uma opinião em comum, o projeto mudou o pensamento deles quanto a mobilidade urbana. Os estudantes que realizaram esse projeto agora passam a ver a bicicleta com mais interessa e carinho em sua vida profissional.

 

Trabalhos dos alunos de Design da Unibrasil incentivados pelo Programa Ciclovida

Cycle Urban

Alunos: Bruno de Lara, Daniela Bauer e Edgar Vittorello.

Ecoleguas

Alunos: Cleiton Pereira Ramos, Jair Antonio Ribas dos Santos, Willian Jerônimo dos Santos e Willian Mayer Machado.

Paraciclos Urbanos

Alunos: Adilar Moreira, Geziel Macharete de Almeida e Leonardo Batista de Jesus.

Unibike

Alunos: Antônio Carlos Perle Lopes, Caroline Cordeiro Oneda, Jordana Nascimento Valões e Priscila Mercial.

Passeio de Cicloturismo entre Curitiba e Antonina

ATENÇÃO:  Devido às condições climáticas, o Passeio de Cicloturismo entre Curitiba e Antonina foi transferido para o dia 14 de Julho.

Maiores informações no decorrer da semana.

O Programa Ciclovida e
a Invasão das Bicicletas


Categorias

julho 2012
D S T Q Q S S
« jun   ago »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031