Arquivo do mês: outubro 2012

Assembleia Legislativa aprova lei que institui o “Mês da Bicicleta” no Paraná

Publicado em Ir e Vir de Bike

Alexandre Costa Nascimento/Ir e Vir de BikeAssembleia Legislativa do Paraná aprovou nessa terça-feira (30), em primeira votação, o Projeto de Lei nº 316/12 que institui Setembro como o Mês da Bicicleta no estado.

A iniciativa é do deputado Rasca Rodrigues (PV), membro daFrente Parlamentar da Mobilidade Urbana Sustentável, e prevê a inclusão da data no calendário oficial de eventos do estado.

O objetivo da Lei é mobilizar a sociedade, poder público, iniciativa privada, comunidade acadêmica e outros segmentos organizados em ações e campanhas que esclareçam e incentivem o uso da bicicleta como meio de transporte eficiente e sustentável.

Com isso, órgãos dos Poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, rede pública de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio além de Universidades Estaduais e autarquias ficam encarregados de realizar ações educativas e estímulo ao uso desse meio de transporte.

A data já é comemorada desde 2007 em Curitiba, com a realização do festivalArteBiciMob, que inclui atividades regulares ao longo de todo o mês como debates, bicicletadas, poesias, festival de cinema, música, exposições de artes visuais, oficinas, aulas para ciclistas iniciantes, oficinas de mecânica, entre outros.

O cicloativista José Carlos Belotto, coordenador do Programa CicloVida da UFPR e um dos propositores da lei, avalia que tanto a lei quanto a criação da Frente de Mobilidade Urbana Sustentável representam a possibilidade de disseminação da cultura da bicicleta no Paraná.

Tramitação

O projeto recebeu parecer favorável na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Paraná. A proposta será votada em segundo turno no Plenário e, se aprovada, segue para sanção do governador Beto Richa (PSDB).

Comentário

A criação da data por força de lei pode parecer apenas oportunismo político. Afinal, a data já é celebrada sem que uma lei determine que assim seja, certo?

Certo. Um olhar mais analítico, porém, pode ajudar a perceber nessa iniciativa uma demonstração da acumulação de força política do movimento cicloativista paranaense.

Todas as sociedades que experimentaram uma transformação urbanística em favor das bicicletas passaram por um processo comum, que começou com a pressão dos ciclistas nas ruas e culminou na incorporação das demandas pelo poder público.

A eventual aprovação do projeto e oficialização do Mês da Bicicleta no Paraná tem caráter meramente simbólico. Mas revela sua importância ao levar a voz das ruas e das Bicicletadas ao parlamento estadual.

Em uma democracia representativa, é legítimo que grupos de pressão utilizem os canais institucionais para promover os avanços que defendem.

É pedalando, ocupando as ruas, pautando o debate público e a agenda política que vamos conquistando as transformações que sonhamos para as nossas cidades, estado e país.

 

As políticas públicas para as bicicletas em Curitiba

Postado em Bicicleteiros

Recém titulado, Mestre, pelo Programa de Pós-Graduação em Gestão Urbana (PPGTU) da PUC-PR, Rafael Milani Medeiros, em seu trabalho: Formação de Política Pública para o Aumento do Modal da Bicicleta em Curitiba, presenteia todos os curitibanos que lutam por melhores condições para o usa da bicicleta na cidade com uma série de excelentes – e científicos – argumentos em prol desta causa.

É crescente em Curitiba o número de ciclistas. Nas redes sociais proliferam grupos de amigos que se reúnem para treinos, passeios e viagens de cicloturismo. Na internet são dezenas de blogs de entusiastas, atletas e cicloativistas.

Na contramão deste crescimento  faltam informações e estudos que possam contribuir para que a cidade não fique para trás, nem mesmo à margem desta realidade que, aos poucos, começa a dar mais vida, e menos fumaça, às ruas de Curitiba. Temos pouca – ou nenhuma – pesquisa de gestão pública sobre o uso da bicicleta. Há uma semana, a Cicloiguaçu – entidade que representa os ciclistas de Curitiba e região – numa trabalhosa e voluntária pesquisa realizada por seus integrantes, apresentou dados que ajudam a compreender, em parte,  a realidade dos pedalantes da capital paranaense. Uma pesquisa realizada, no mês passado, pelo Ibope-Inteligência de São Paulo, mostra com mais consistência (fruto de toda estrutura e recursos de um Instituto de porte) informações sobre a vida de quem pedala – ou poderia pedalar – na maior metrópole do país.

Todavia, a dissertação do Rafael Milani é o fio de Ariadne para quem quer entender o que acontece com Curitiba que, desde de 1970, possui projeto de implantação de Plano Cicloviário e, mesmo assim, possui algo em torno de 1% (ANTP-2010) dos deslocamentos diários de seus cidadãos realizados por bicicletas, o que é irrisório se comparado com a realidade de cidades de mesmo tamanho e condições sociotécnicas que a nossa.

Vale ressaltar que nas 169 páginas da dissertação não faltam exemplos, estatísticas, comparações e imagens que podem municiar e qualificar qualquer discussão em torno do uso das bicicletas, naquela que é hoje a capital com maior número per capito de carros por habitantes do Brasil (IBGE-2010), Curitiba.

Link para o texto completo:  Formação de Política Pública para o Aumento do Modal da Bicicleta em Curitiba

Veja também uma apresentação pública da dissertação com arquivo de áudio: http://bicicletas.org.br/2012/10/12/por-que-curitiba-nao-pedala/

Pesquisa realizada pela CicloIguaçu mostra os hábitos e carcaterísticas de quem usa a bicicleta

Relatório da Pesquisa (esse link abrirá uma nova página com mais um link, clique nele para acessar o relatório!)

Foto: Danilo Herek

 

Bicicleta Feita de Papelão

Guia para a construção de bicicletários adequados

Guia-bicicletarios-adequados-19-10-12-ACBC

CONVITE

Gostaria de convidar a todos do Ciclovida, para estas palestras que estamos organizando com visitantes do Equador.
18 de outubro de 2012
9:00 – Centro Politécnico – sala de videoconferencia do CESEC
Profa. Maria do Carmo y Marciano Sehn
Las Investigaciones sobre urbanismo e sostenibilidad
Edificios y ciudades sustentables –
Prof. Dr. Aloísio Leoni Schmid y
Prof. Dr. Sergio Fernando Tavares (Arquiteto)

Sostenibilidad y Gestión urbana en la Grande Curitiba
Profa. Dra. Cristina de Araújo Lima (Arquitecta urbanista)El futuro en las grandes ciudades: Proyecto social “A carona solidaria”
Prof. Dr. Ricardo Mendes Junior (Ingeniero civil)


Prof Dr Ricardo Mendes Jr

twitter.com/ricardomendesjr

http://pt.wikipedia.org/wiki/Usuário(a):RicardoMendesJr

Grupo de Tecnologia de Informação e Comunicação na Construção Civil, GRUPOTIC
twitter.com/grupotic
Departamento de Engenharia de Produção
Universidade Federal do Paraná
Tel/Fax 41-3361-3448

Marcha das 2.012 bicicletas

Esta galeria contém 43 fotos.

O Programa Ciclovida e
a Invasão das Bicicletas


Categorias

outubro 2012
D S T Q Q S S
« set   nov »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031