Arquivo do mês: julho 2016

Descida da Graciosa ameaçada pela previsão de chuva

ceu-carregado-wallpaper-14175

 

Se chover durante a madrugada de sexta-feira (15) e ao amanhecer de sábado a descida da Graciosa será cancelada por motivos de segurança.
A análise da viabilidade e manutenção do passeio  será feita pelo coordenador do CICLOVIDA/UFPR José Carlos Belotto, às 5:00 hs deste sábado (16). Em caso de dúvida os participantes devem confirmar a realização ou não do passeio com o Belotto (41-9926-4096) a partir das 5:15 hs da manhã do mesmo dia.

 

 

 

Cartaz: Descida da Graciosa para o Festival de Inverno de Antonina

UFPR inverno Ciclo Vida

Artigo “Diferenças socioeconômicas e regionais na prática do deslocamento ativo no Brasil”

RESUMO

OBJETIVO: Apresentar estimativas nacionais sobre o deslocamento a pé ou de bicicleta no trajeto casa-trabalho no Brasil e em 10 de suas regiões metropolitanas.

MÉTODOS: Utilizando dados do Suplemento sobre Saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2008, estimamos a frequência de pessoas empregadas que se deslocam a pé ou de bicicleta no trajeto casa-trabalho estratificada por sexo, e segundo faixa etária, escolaridade, renda domiciliar per capita, residência em área urbana ou rural, regiões metropolitanas e macrorregiões do país. Adicionalmente, estimamos a distribuição da mesma frequência segundo quintos da distribuição da renda domiciliar per capita em cada região metropolitana.

RESULTADOS: Um terço dos homens e mulheres empregados desloca-se a pé ou de bicicleta de casa para o trabalho no Brasil. Em ambos os sexos, esta proporção diminui com o aumento da renda e da escolaridade e é maior entre os mais jovens, entre os que residem em área rural e naqueles residentes na região Nordeste. A depender da região metropolitana, a prática de deslocamento ativo entre os mais pobres é de duas a cinco vezes maior do que entre os mais ricos.

CONCLUSÕES: O deslocamento a pé ou de bicicleta para o trabalho no Brasil é mais frequente entre os mais pobres e entre pessoas que vivem em áreas e regiões economicamente menos desenvolvidas. A avaliação do deslocamento ativo no País traz informações importantes para a discussão de políticas públicas de mobilidade.

DESCRITORES: Atividade Motora. Caminhada. Transportes. Saúde Urbana. Planejamento de Cidades. Desigualdades em Saúde. Cidade Saudável. Zonas Metropolitanas.

O artigo na íntegra pode ser conferido no link:
http://www.scielo.br/pdf/rsp/v50/pt_0034-8910-rsp-S1518-87872016050006126.pdf

 

O Programa Ciclovida e
a Invasão das Bicicletas


Categorias

julho 2016
D S T Q Q S S
« jun   ago »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31