“Saúde em Trânsito”

A violência no trânsito é um problema de saúde pública no Brasil com altos índices de mortalidade e morbidade. Depoimentos de usuários e profissionais discutem o tema e destacam a necessidade de medidas preventivas integradas, no DVD “Saúde em Trânsito”, que conta com a participação do Coordenador do Ciclovida José Carlos Belotto e dos Profºs da UFPR Iara Thielen e Paulo Bracarense.
Confira o trailler do filme:

https://www.youtube.com/watch?v=8OF9vBvnRdg

Mais informações  (ficha técnica e como adquirir o dvd) no site fundação Oswaldo Cruz:

http://portal.fiocruz.br/pt-br/content/video-saude-no-transito

Ciclovida realiza oficina no 26º Festival de Inverno de Antonina

Durante o 26º Festival de Inverno o programa Ciclovida ofereceu uma oficina de cicloturismo em Antonina – PR. A oficina foi realizada como “atividade paralela” do festival, e teve como objetivo a elaboração de um folder cicloturístico da cidade, tendo como foco as atrações naturais e a valorização da cultura local. A proposta de cicloturismo para Antonina articula quatro tipos de turismo: o histórico, das praias, de aventura e rural. Nos dias da oficina foram realizadas quatro rotas:

Roteiro histórico:

Um passeio de 3 km (aproximadamente 2h) pelo centro da cidade, com diversos pontos turísticos com muita história. Entre eles a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar, as ruínas do Casarão Macedo, a Estação Ferroviária, o Teatro Municipal, a Igreja São Benedito e  a Fonte da Carioca.

Roteiro Ponta da Pita/ Foz do rio Nhundiaquara:

Pedalada de 27 km (aproximadamente 4 horas), combinando atrações naturais e construções antigas. No caminho para a Ponta da Pita passa-se por um casarão muito antigo (Típica casa de Senhor de Engenho) –construído no século XVIII- e pelas ruínas do Complexo Matarazzo. A Ponta da Pita é uma praia calma, com uma bela vista  formações rochosas e opções de restaurantes. Seguindo a estrada e pegando uma trilha (um tanto acidentada), chega-se a praia do Gomes e a foz do rio Nhundiaquara, um dos maiores da região. Passeio para quem gosta de natureza e aventura!

Roteiro Aventura / Rural:

Programa para o dia todo, aproximadamente 64 km (ida e volta) de pedalada + trilhas, passando pelo Rio do Nunes, o Rio Cachoeira, o Bairro Alto e a Usina desativada Parigot de Souza. No final da Vila da Usina se tem acesso à PR-340, onde é aconselhável deixar as bikes de lado e seguir a pé até a trilha que leva ao Salto do Saci, uma queda d’água de 25 metros, muito bela. Do final da Vila até a cachoeira leva-se aproximadamente 1h caminhando em meio à natureza. Um passeio de encontro com a Mata Atlântica preservada e selvagem.

Roteiro Portinho/Tucunduva/Saivá

Pedalada de 20 km e aproximadamente 3 horas de duração, por alguns dos bairros mais antigos de Antonina. Chegando à foz do Rio Joãozinho, dependendo do horário, ou ele estará enchendo com a maré ou vazando, correndo para um lado ou para o outro. Uma experiência singular.

O Folder com o mapa será elaborado e disponibilizado em meio impresso e digital.

Confira as fotos da oficina, pela lente de Gabriel Dietrich:

Descida da Graciosa ameaçada pela previsão de chuva

ceu-carregado-wallpaper-14175

 

Se chover durante a madrugada de sexta-feira (15) e ao amanhecer de sábado a descida da Graciosa será cancelada por motivos de segurança.
A análise da viabilidade e manutenção do passeio  será feita pelo coordenador do CICLOVIDA/UFPR José Carlos Belotto, às 5:00 hs deste sábado (16). Em caso de dúvida os participantes devem confirmar a realização ou não do passeio com o Belotto (41-9926-4096) a partir das 5:15 hs da manhã do mesmo dia.

 

 

 

Cartaz: Descida da Graciosa para o Festival de Inverno de Antonina

UFPR inverno Ciclo Vida

Artigo “Diferenças socioeconômicas e regionais na prática do deslocamento ativo no Brasil”

RESUMO

OBJETIVO: Apresentar estimativas nacionais sobre o deslocamento a pé ou de bicicleta no trajeto casa-trabalho no Brasil e em 10 de suas regiões metropolitanas.

MÉTODOS: Utilizando dados do Suplemento sobre Saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2008, estimamos a frequência de pessoas empregadas que se deslocam a pé ou de bicicleta no trajeto casa-trabalho estratificada por sexo, e segundo faixa etária, escolaridade, renda domiciliar per capita, residência em área urbana ou rural, regiões metropolitanas e macrorregiões do país. Adicionalmente, estimamos a distribuição da mesma frequência segundo quintos da distribuição da renda domiciliar per capita em cada região metropolitana.

RESULTADOS: Um terço dos homens e mulheres empregados desloca-se a pé ou de bicicleta de casa para o trabalho no Brasil. Em ambos os sexos, esta proporção diminui com o aumento da renda e da escolaridade e é maior entre os mais jovens, entre os que residem em área rural e naqueles residentes na região Nordeste. A depender da região metropolitana, a prática de deslocamento ativo entre os mais pobres é de duas a cinco vezes maior do que entre os mais ricos.

CONCLUSÕES: O deslocamento a pé ou de bicicleta para o trabalho no Brasil é mais frequente entre os mais pobres e entre pessoas que vivem em áreas e regiões economicamente menos desenvolvidas. A avaliação do deslocamento ativo no País traz informações importantes para a discussão de políticas públicas de mobilidade.

DESCRITORES: Atividade Motora. Caminhada. Transportes. Saúde Urbana. Planejamento de Cidades. Desigualdades em Saúde. Cidade Saudável. Zonas Metropolitanas.

O artigo na íntegra pode ser conferido no link:
http://www.scielo.br/pdf/rsp/v50/pt_0034-8910-rsp-S1518-87872016050006126.pdf

 

Inscrições abertas para o Festival de Inverno da UFPR

image

 

Já estão abertas as inscrições para o Festival de Inverno da UFPR, em Antonina. O ciclovida terá duas atividades no festival:

Um passeio cicloturístico até Antonina, e a confecção de um folder de cicloturismo para Antonina, descrita como “atividade paralela” no site. Todas as informações e o link para inscrição estão no site doFestival: http://www.proec.ufpr.br/festival2016/links/inscricoes.html

LIVRO: O AUTOMÓVEL

O Brasil tem hoje mais de 61 milhões de automóveis. Em 2009, passou de oitavo lugar (2007) para a quinta posição na lista dos países com maior número de veículos no mundo, atrás somente dos Estados Unidos, Japão, China e Alemanha.

As grandes cidades param em horas de pico e os prejuízos passam de R$ 35 bilhões, por ano, no que diz respeito ao consumo extra de combustíveis, acidentes, estresse e doenças, físicas e psicológicas, provocadas pelo trânsito caótico de metrópoles e cidades de grande porte.

Para agravar o problema, o trânsito brasileiro é um dos mais violentos do mundo, fazendo até seis vezes mais vítimas do que as frotas de carro da maioria dos países europeus. De acordo com o Denatran, o Brasil atingiu em 2008, a marca de 57 mil mortes por acidentes – o que equivale a 156 mortes por dia ou seis a cada hora. Um ano antes, em 2007, as mortes chegaram a 66.836, ou 183 por dia e 7,6 por hora.

Instalado o problema é preciso encontrar soluções, medidas potentes e não paliativas para tornar a relação cidade x automóvel x qualidade de vida possível e harmoniosa. Entre as medidas apontadas no livro para melhorar a gravidade do tráfego brasileiro, o trabalho aponta a retomada da bicicleta como meio de transporte, a revitalização e melhor planejamento de ruas e estradas e o uso estratégico de trens (subterrâneos e de superfície).

 

Confira o livro no link:

http://www.fiscaltech.com.br/o-automovel.html

Estréia a via calma da Av. João Gualberto

Na última sexta-feira (17), ocorreu o lançamento da via calma da Av. João Gualberto, com pedalada que contou com a presença do prefeito Gustavo Fruet. Após a pedalada, os ciclistas se dirigiram para a Prefeitura, onde se juntaram a representantes da Universidade Federal do Paraná, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Universidade Positivo (UP) e Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), para serem apresentados à administração municipal e ao cônsul honorário dos Países Baixos os primeiros resultados de seus trabalhos sobre ciclomobilidade em Curitiba.

As pesquisas vem de um acordo entre a prefeitura e o governo holandês que busca ampliar o potencial da bicicleta como meio de transporte na cidade, por meio do Termo de Entendimento entre Instituições Brasileiras e Holandesas para Aumentar o Potencial de CicloMobilidade Rumo a uma Smart Curitiba, que visa consolidar a bicicleta como opção de mobilidade segura e abrangente através de projeto inovadores em arquitetura, planejamento urbano e design.

Confira algumas fotos do evento na Prefeitura:

Fotos e vídeo do passeio ciclo turístico pela Fazenda Canguirí e Represa do Iraí – 30/04/16

No último dia 30/04 ocorreu o passeio ciclo turístico do Ciclovida que passou pela Fazenda Canguirí e Represa do Iraí. Confira os registros do passeio:

https://www.youtube.com/watch?v=YRdHQRXkrPs

 

 

 

Passeio Cicloturístico na Represa do Iraí

Passeio cicloturístico a vista!

No próximo dia 30, prepare a bicicleta e o capacete para uma pedalada até a Represa do Iraí. Aproximadamente 50km de pedalada até a represa.

Local de encontro: Asufepar (Rua Carlos Pradi nº18)
Concentração:7h30
Saída: 8h00
Retorno estimado 13h30

Represa do Iraí

O Programa Ciclovida e
a Invasão das Bicicletas


Categorias

setembro 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930